Saúde

Notícias

Saúde

Novo complexo vai reunir Hospital Estadual do Cérebro e Hospital Estadual da Visão

 27/01/2012 - 09:01h - Atualizado em 30/01/2012 - 16:45h


Em decreto publicado no Diário Oficial de quarta-feira (25), o governador Sérgio Cabral tornou de utilidade pública, para fins de desapropriação, o prédio e o terreno onde funcionava o antigo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), localizado na Rua do Resende, Centro. O endereço receberá o Hospital Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e o Hospital da Visão.

 

A previsão é que o centro de referência em neurocirurgia e tratamento do Acidente Vascular Cerebral (AVC) abra à população já em julho de 2012, após reformas para ajuste da atual estrutura. A partir da inauguração, o hospital vai oferecer serviços de neurocirurgia avançada, tratamento da epilepsia e UTI exclusiva do protocolo do AVC. Serão abertos neste primeiro momento 44 leitos.

 

A segunda fase do projeto será a construção, no mesmo terreno, de um novo prédio que possibilitará a ampliação destes serviços e também a implantação do Hospital Estadual da Visão, para tratamento, por exemplo, de doenças como a catarata e também a realização de transplantes de córnea. Ao final, serão quase 170 novos leitos na rede, além de moderno centro de reabilitação. A previsão é que a partir do terceiro trimestre de 2013 toda a estrutura seja entregue à saúde pública do Rio de Janeiro. O projeto integral deve receber cerca de R$ 40 milhões de investimentos.

 

A administração da unidade seguirá o modelo de gestão compartilhada por Organizações Sociais (OSs) e os leitos serão referenciados pela Central de Regulação do protocolo de perfil neurocirúrgico.

 

A doação do prédio do antigo INTO pelo Governo Federal para o Estado do Rio foi formalizada pela presidente da República, Dilma Rousseff, e pelo governador Sérgio Cabral em novembro de 2011.

 

Atendimento especializado a vítimas de AVC - Para otimizar o atendimento de vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e reduzir a possibilidade de sequelas, o Hospital Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer será equipado com o que há de mais moderno no campo da neurocirurgia de alta complexidade, utilizando técnicas inéditas na rede pública. Com base no sucesso da experiência do Protocolo de Atendimento à Dor Torácica, implementado nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em agosto de 2008 – e que reduziu em 50% o número de óbitos por infarto no estado -, o modelo será reproduzido para o tratamento do AVC isquêmico.

 

A primeira providência a ser tomada quando surgem os sintomas iniciais do AVC é encaminhar o paciente para exame de tomografia, para identificar se o derrame é isquêmico ou hemorrágico. Na imensa maioria dos casos o AVC é do tipo isquêmico e a administração de trombolíticos no período de até 6 horas reduz drasticamente a chance de o paciente ter sequelas ou até mesmo morrer.

 

- O que vamos implementar a partir do Hospital do Cérebro é um atendimento diferenciado que começa no SAMU. Se há suspeita de AVC pelo relato do quadro do paciente, será enviada uma ambulância com equipe treinada para as primeiras abordagens. O paciente será levado diretamente para hospitais da rede ou UPAs distribuídas regionalmente que terão tomógrafos portáteis, que possibilitam a realização do exame direto na maca e envio do resultado para o especialista por telemedicina. Detectado o AVC isquêmico, o trombolítico será administrado pela equipe do SAMU que o encaminhará para o leito e acompanhamento no Hospital do Cérebro. Isso é totalmente inédito no Brasil e vai garantir que muitas vidas sejam salvas – destacou o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes.

 

Além da implementação de toda essa rede de atendimento para o AVC isquêmico, o novo hospital também contará com uma moderna tecnologia de neurocirurgia com possibilidade de confirmação da extração de tumores via exame de ressonância magnética dentro do próprio Centro Cirúrgico.

 

- Temos informação de que somente um hospital da rede privada trabalha dessa forma em todo o Brasil. O que vamos fazer no Hospital Estadual do Cérebro será ainda mais moderno. Assim, pretendemos seguir garantindo que os nossos investimentos não só ampliem a oferta de atendimento na rede pública, mas garanta ao paciente SUS o que há de melhor no mundo – disse Sérgio Côrtes.


Política de investimentos ampliou em mais de 900% tomografias realizadas no RJ - A criação do Hospital Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer dá continuidade aos investimentos que já vêm sendo feitos pela Secretaria de Estado de Saúde a fim de prevenir ou diminuir as mortes por AVC. Enquanto em 2006 foram feitas 16 mil tomografias/mês, ano passado esse número ultrapassou a marca de 186 mil tomografias em toda a rede estadual, sem contar o serviço móvel de exames de imagem. Os recursos na área se refletem na queda de casos de óbito por AVC isquêmico e hemorrágico. De acordo com informações de Indicadores e Dados Básicos para a Saúde (IDB 2010), há 11 anos as doenças cerebrovasculares eram responsáveis por mais da metade das mortes por doenças do aparelho circulatório. Em 2009, por exemplo, esse número caiu para 34%.

 

Neurocirurgia na rede estadual hoje - Os Hospitais Estaduais Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, Azevedo Lima, em Niterói, e Getúlio Vargas, na Penha, são atualmente os três polos de neurocirurgia da rede estadual de Saúde. Hoje, apenas o HEGV oferece o tratamento com trombolítico, que, no entanto, depende que o paciente perceba os sintomas e chegue à unidade em até 6 horas .




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

PROGRAMAS E AÇÕES

_____________________   Participe das redes sociais   _____________________