Saúde

Notícias

Saúde

Benefícios da residência médica em Saracuruna

 12/08/2011 - 10:08h - Atualizado em 15/08/2011 - 17:27h


O Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (HEAPN), em Saracuruna, conta há três anos com um programa de residência médica. As especializações contempladas são pediatria, anestesiologia e terapia intensiva de adulto, somando 10 residentes na unidade. Em abril deste ano, o hospital conseguiu liberação da Comissão Estadual de Residência Médica do Rio de Janeiro (CEREMERJ) para implementar mais uma residência – ginecologia e obstetrícia, com previsão para receber os médicos residentes em janeiro de 2012. A coordenadora de Residência Médica do HEAPN, Sheila Maia, explica a importância do programa.

 

- Ter o serviço de residência médica faz o hospital crescer porque estimula o médico orientador a voltar a estudar, promove a estimulação científica, participação em congressos de medicina e estudo de casos. A troca de experiência e a pesquisa científica é o que faz com que a área médica evolua -, destaca Sheila.

 

Para que o hospital possa ser certificado como hospital de ensino ele precisa ser aprovado em vários quesitos como dispor de internato, ambulatório, preceptores (médicos com qualificação acadêmica para orientar os residentes), equipamentos adequados ao trabalho, enfermaria, centro cirúrgico, emergência, biblioteca, alojamento, entre outros. Além do HEAPN, as outras unidades da rede própria estadual que contam com o serviço de residência médica são o Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV), o Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE), o Instituto Estadual de Cardiologia Aluysio de Castro (IECAC), o Instituto Estadual de Hematologia (IEHE), o Centro Psiquiátrico do Rio de Janeiro (CPRJ), totalizando 46 residentes.

 

Após passar na prova de residência médica, Igor de Almeida conta que escolheu o hospital para fazer residência em anestesiologia porque a unidade conta com equipamentos avançados dentro da sua especialização e por já conhecer a preceptora que iria orientá-lo, que foi sua professora na época da faculdade.

 

- O que mais gosto no programa de residência do HEAPN é que a direção está aberta para nos ouvir. Com isso, conseguimos passar para eles o que precisa ser feito para melhorar o trabalho dos médicos e, consequentemente, o atendimento aos pacientes -, explica Igor.

 

A também residente de anestesiologista Marcelle Lucena destaca outro aspecto positivo de fazer residência no hospital.

 

- Em outubro de 2010, participamos do Congresso Nacional de Anestesiologia e apresentamos dois casos atendidos na unidade. Um deles era sobre um paciente que recebeu anestesia durante uma cirurgia de reimplante e o hospital é referência no Estado neste tipo de atendimento. A residência é uma ótima oportunidade para aprendermos na prática como tratar de casos mais complexos -, explica Marcelle.

 

Atendimentos no HEAPN – O Hospital Estadual Adão Pereira Nunes foi inaugurado em 18 de dezembro de 1998 e atende, principalmente, pacientes do município do Rio de Janeiro e Baixada Fluminense. No último mês de junho, o HEAPN realizou mais de 134 mil atendimentos, sendo mais de 63 mil de emergência. A unidade tem o programa SOS Reimplante, que é pioneiro em todo o Estado do Rio de Janeiro na rede pública e privada, e conta com uma equipe com cinco médicos. Os profissionais ficam de prontidão para atender a casos de amputações. Até hoje, já foram realizados 73 reimplantes, com 72,5% de sucesso. Somente o Hospital Universitário da USP e o Hospital Adão Pereira Nunes oferecem esse serviço no Brasil. A unidade foi selecionada por ser referência em atendimento de emergência, com equipamentos de ultima geração e também pela localização estratégica – próxima a grandes rodovias -, dispondo de um heliponto no local.




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

PROGRAMAS E AÇÕES

_____________________   Participe das redes sociais   _____________________