Esporte, Lazer e Juventude

Notícias

Após participar do Oi Rio Pro, Taís de Almeida visa título nacional de surf

 16/05/2018 - 14:10h - Atualizado em 16/05/2018 - 14:17h

Nascida em Saquarema, sede do Mundial no Brasil, atleta comemora sucesso do campeonato na cidade natal



Com 33 anos e de Saquarema, Taís de Almeida venceu a triagem e participou do Oi Rio Pro 2018 / Foto: Divulgação WSL

 

Uma motivação em tanto na carreira de Taís de Almeida. Mesmo sendo eliminada do Oi Rio Pro 2018, a surfista, que é nascida em Saquarema, celebrou sua atuação na etapa do Brasil do Mundial de Surf, realizada pelo segundo ano consecutivo na cidade da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Taís terminou na 13ª posição do torneio e ganhou um prêmio de 10.000 dólares pela participação. Viabilizada pela Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje), por meio da Lei de Incentivo ao Esporte e à Cultura, a competição entra na reta final e consagra de vez as praias de Saquarema.

- Foi uma experiência incrível, que veio para me dar força para continuar competindo. Só de estar ali, entre as melhores do mundo, foi uma vitória para mim – contou Taís, que ainda destacou a potencialidade do município para a modalidade.

- Sou de Saquarema. É sensacional ver os melhores do mundo surfando nas ondas que eu treino diariamente. Esse evento atrai um público diferenciado, que só faz a cidade crescer e ser reconhecida mundialmente. A cidade respira surf e nunca deixa a desejar na qualidade das ondas. É o verdadeiro ‘Maracanã do surf’ – disse a atleta, que é recordista de títulos na Seletiva Petrobras, um circuito nacional, e fez finais em etapas do QS em Haleiwa, no Hawaii, e na Inglaterra.

Vitória na triagem e surpresa no circuito nacional na etapa da Barra da Tijuca

Indicada pela Associação de Surf de Saquarema (ASS), Taís foi a melhor na triagem com uma onda de nota 7,50. A disputa foi entre Kayane Reis, que também é saquaremense, Tainá Hinckel e Luana Coutinho, campeã brasileira de 2017. Com a vitória, veio a classificação para as baterias principais do Oi Rio Pro.

Taís disputou a primeira fase na terceira bateria, contra a australiana Stephanie Gilmore, líder do ranking, e a havaiana Malia Manuel, mas acabou indo para a repescagem, onde a francesa Johanne Defay pegou as melhores onda e eliminou a brasileira da competição.

Taís revela que chegou motivada após vencer a etapa da Barra da Tijuca do ‘Rio Surf Pro Brasil 2018’, válida pelo Circuito Brasileiro de Surf Abrasp e que retornou ao Rio de Janeiro após oito anos fora do estado. A competição também recebeu o apoio da Seelje, por meio de uma contrapartida social.

- A etapa da Barra eu decidi ir um dia antes do evento começar porque estava desanimada, sem competir por um tempo e sem apoios. Lá, fui passando as baterias despercebida, até que quando me dei conta estava vencendo a final. Fiquei bastante feliz e me deu muita motivação para a triagem do CT aqui em Saquarema – contou.

Aos 33 anos, a surfista, que começou ainda criança no esporte, comemora o fato da modalidade ter se popularizado no Brasil e assim, alcançando mais visibilidade.

- O brasileiro abraçou o surf como o futebol. Virou mais uma paixão, que é muito importante para a modalidade. Com certeza, a Olimpíada só vai agregar – projetou Taís sobre a entrada do surf no programa olímpico a partir de Tóquio 2020.

- Começou com 8 anos porque via todos meus amigos surfarem. Não tinha como morar em Saquarema e não surfar. Minhas metas, a partir de agora, são participar das etapas que vão acontecer no Brasil e treinar pra tentar o título nacional. 




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

___________________   Participe das redes sociais    _____________________