Esporte, Lazer e Juventude

Notícias

Instituto Reação cede cinco atletas para seleção brasileira de judô

 22/01/2018 - 16:34h - Atualizado em 22/01/2018 - 17:20h

O projeto tem 1,4 mil alunos distribuídos em seus cinco núcleos


 

 

Os atletas Victor Rodrigues, David Moura, Ruan Isquierdo, Jéssica Pereira e Tamires Crude, do Instituto Reação, foram convocados pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) para o primeiro treinamento de campo nacional 2018, nesta segunda-feira (22), em São Paulo. Até o fim desta semana, eles estarão se preparando para as competições do Circuito Mundial da Federação Internacional de Judô (FIJ), que acontecerão em fevereiro. O Instituto Reação, é parceiro da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje).

- Para nós da secretaria, é um grande orgulho assistir o desenvolvimento desses atletas, que começaram no Reação e agora estão conquistando o mundo. Temos a missão de promover e continuar colaborando com o que for preciso para que as crianças e os jovens do instituto continuem brilhando. Essa é uma parceria que deu certo – diz o secretário da pasta, Thiago Pampolha.

Com ajuda de amigos, o projeto foi desenvolvido pelo medalhista olímpico Flávio Canto, em 2003. Hoje ele conta com 1,4 mil alunos espalhados em cinco núcleos: Rocinha, Cidade de Deus, Tubiacanga, Pequena Cruzada e Deodoro. Foi no Reação, por exemplo, que surgiu Rafaela Silva, primeira judoca brasileira a se tornar campeã olímpica e mundial, sendo medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

- Nossa missão é ajudar cada vez mais o Brasil com atletas que representem bem o país. O objetivo para todos que participam do programa é provar que não há nada que não possa ser conquistado, é desenvolver potencial e trabalhar com excelência. E o principal de tudo é promover a integração social, muito mais que uma inclusão social – explica Canto.

O atleta Victor Penalber, de 27 anos, esteve nas Olimpíadas do Rio na categoria peso meio-médio (81kg). Dos cinco, ele é o único que participou de uma edição da Rio 2016. Já no feminino, Jéssica e Tamires são as mais jovens. Para Geraldo Bernardes, a função de um técnico não é só ensinar o esporte aos atletas, mas sim ensinar lições para a vida do atleta.

- Eu comecei no judô com 15 anos porque era muito brigão. Esse esporte mudou minha vida. Me ensinou a ter mais disciplina. Não adianta nada termos um atleta que ganha várias medalhas se ele não é um bom ser humano. Passo para eles que para serem ótimos atletas, precisam ser campeões na vida também. O judô ensina disciplina e valores – afirma o técnico, que está no Reação há 17 anos.

 

Novo Talento


Na última sexta-feira (19/01), o Instituto Reação continuou mostrando sua força. A atleta meio-leve (52kg) Jéssica Pereira conquistou o título do Grand Prix de Túnis, na Tunísia, garantindo o primeiro ouro do judô brasileiro na temporada 2018. Com campanha irretocável, a carioca enfileirou adversárias no país africano vencendo todas as suas quatro lutas por ippon, a pontuação máxima do judô.


Alguns resultados dos atletas:

Victor Penalber (81Kg)

- Bronze no Mundial de Astana 2015
- Prata no Mundial Por Equipes Mistas 2017

David Moura (+100Kg)

- Prata no Mundial de Budapeste 2017
- Prata no Mundial Por Equipes Mistas 2017

Jéssica Pereira ( 52Kg)

- Prata no Mundial Júnior 2014

Ruan Isquierdo (+ 100kg)

- Bronze Campeonato Pan-Americano 2017

Tamires Silva (57Kg)

- Bronze Universíade Taipei 2017

 


  • Fotos

  • Jéssica - Reação

    1 foto | 22/01/2018

    Jéssica Pereira



Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

___________________   Participe das redes sociais    _____________________