Esporte, Lazer e Juventude

Notícias

Alunas da FlaBasquete são contratadas por time profissional do interior de São Paulo

 31/08/2017 - 12:19h - Atualizado em 31/08/2017 - 13:29h

Thailane Monteiro e Anna Júlia Gonçalves eram do núcleo da cidade de Cachoeiras de Macacu e, desde o início do ano, são atletas do Tupã Basquete



Aos 14 anos, Anna Júlia Gonçalves, que era do núcleo de Cachoeiras da Macacu, está atuando no Tupã Basquete, clube do interior de São Paulo / Foto: arquivo pessoal

 

 

Duas alunas da Escolinha FlaBasquete do núcleo Cachoeiras de Macacu, cidade da Região Serrana do Rio de Janeiro, já deram o primeiro passo para se tornarem profissionais. Thailane Monteiro, de 16 anos, e Anna Júlia Gonçalves, de 14, foram contratadas pelo Tupã Basquete, clube do interior de São Paulo, este ano. Fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) com o Clube de Regatas do Flamengo, o projeto de escolinhas está presente, além da capital, em outros quatro municípios fluminenses.

- É uma imensa alegria saber que estas meninas saíram de um projeto da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro. Nosso objetivo, enquanto poder público, é sempre fomentar as gerações futuras e, principalmente, formar cidadãos de bem. Estamos na torcida pela Thailane e Anna Júlia e temos a certeza de que outros talentos sairão dos nossos projetos – comemorou o secretário de Esporte, Lazer e Juventude, Thiago Pampolha.

Foi vendo o irmão jogar basquete, aos sete anos, que despertou o interesse de Anna Júlia pela modalidade. Desde a mudança para a cidade paulista, em janeiro deste ano, a rotina diária da adolescente ficou mais intensa.

- Os treinos no Tupã são diários. Estudo pela manhã, almoço e sigo direto para o treino, onde ficou por duas horas. O segundo turno do campeonato da Federação Paulista vai começar agora e, por isso, estamos muito focadas – contou Anna Júlia, que ainda revelou certa dificuldade no início com a mudança de cidade:

- No começou, foi um pouco tenso porque estava longe da família, dos amigos. Mas, aos poucos, eu fui me adaptando. Hoje, moro em uma casa com outras 12 meninas e uma ajuda a outra, sempre. Formamos uma nova família aqui em Tupã – disse Anna.

Thailane Monteiro já se arriscou na ginástica artística e no futsal, mas foi no basquete que a jovem se encontrou. O primeiro contato com a famosa bola laranja foi aos 10 anos, na escola. Aos 12, a adolescente integrou pela primeira vez um clube e, hoje, com 16 anos, atua na equipe sub17 do Tupã. Thailane não se esquece da experiência vivida no projeto em Cachoeiras de Macacu.
 


Thailane (com a bola nas mãos) integra a equipe sub17 do Tupã, mas se recorda com carinho da época em que era aluna da Escolinha FlaBasquete no Rio de Janeiro

 


- O objetivo aqui no Tupã é aprender bastante e jogar o máximo possível. A escolinha FlaBasquete foi fundamental na minha vida, pois muito do que eu sei hoje, aprendi com os professores do projeto, principalmente com o Fábio. O esporte me transmite muitas coisas boa, entre elas, o valor das amizades e exemplos a serem seguidos – explicou Thailane.

Seis núcleos no estado e quase 500 alunos atendidos

Para o diretor executivo de Esportes Olímpicos do Flamengo, Marcelo Vido, o projeto de Escolinhas tem duas premissas importantes: a função social do esporte e a possibilidade de revelar talentos.

- Um dos objetivos desse projeto é dar oportunidade aos jovens de se desenvolverem no esporte, além, é claro, de cumprirmos um papel social importantíssimo na participação da formação de cidadãos, que é a maior filosofia do clube. Além da iniciação esportiva, visamos sempre revelar talentos, e esses dois casos nos deixam extremamente felizes, pois podemos constatar que o Flamengo está no caminho certo. Esperamos que esses sejam os primeiros atletas formados de muitos que virão – declarou Marcelo Vido.

Tanto Anna Júlia, quanto Thailane sonham em ir longe na modalidade. Inspiradas pela geração de ouro do basquete feminino, quando o Brasil conquistou o Mundial da Austrália, em 1994, as jovens lembram das atletas brasileiras mais famosas deste esporte.

- Meu sonho é chegar à seleção brasileira ou jogar pela liga feminina da NBA. Minhas duas referências são a Hortência e a Magic Paula, mulheres que são símbolos do nosso esporte. Desde pequena, sempre quis ser jogadora e minha vida gira em torno do basquete – concluiu Anna Júlia.
 


Amigas e colegas de equipe, Thailane e Anna Júlia sonham em chegar à seleção brasileira ou até mesmo à WNBA, a liga feminina norte-americana



Além dos dois núcleos na cidade do Rio – Vila Olímpica do Sampaio e unidade do Degase, na Ilha do Governador, a Escolinha FlaBasquete também é encontrada nos municípios de Petrópolis, Três Rios, Mangaratiba e ainda, Cachoeiras de Macacu. Ao todo, cerca de 480 alunos são beneficiados pela iniciativa da Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude. 


  • Fotos

  • 6 fotos | 31/08/2017

    Alunas da Escolinha FlaBasquete jogam profissionalmente em clube de São Paulo



Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

___________________   Participe das redes sociais    _____________________