Esporte, Lazer e Juventude

Notícias

Dia internacional da igualdade da mulher: as pioneiras do esporte

 25/08/2017 - 11:37h - Atualizado em 25/08/2017 - 12:07h

Em homenagem à data, a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude mostra o esforço e a superação feminina



Maurren Maggi, medalhista olímpica de ouro nos Jogos de Pequim (2008) é uma das mulheres brasileiras que se tornaram símbolo na luta pela igualdade / Foto: Divulgação - COB

Neste sábado (26/08), é celebrado o dia internacional da igualdade da mulher. Para marcar a data, a Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude (Seelje) reúne algumas das mulheres pioneiras no esporte e mostra, além do espaço que elas conquistaram, a luta diária para se manterem desde os anos 1900 até hoje.

Maria Lenk foi uma das principais nadadoras brasileiras e a responsável pelo crescimento da modalidade esportiva no país. Em sua primeira competição, Maria Lenk usou um maiô emprestado para se tornar a primeira mulher sul-americana a participar de uma edição dos Jogos na modalidade, em Los Angeles (EUA) em 1932. Desde então, foi só sucesso, chegando a bater recordes mundiais nos 200m e 400m peito.

Outra brasileira que fez história é a Adriana Araújo. Foi em Londres, nos Jogos Olímpicos 2012, que a baiana provou que boxe também é esporte para mulher. Ela conseguiu se destacar na edição inaugural da modalidade feminina nos Jogos Olímpicos, já que foi a primeira brasileira a acabar com o jejum nacional de 44 anos sem subir no pódio pelo boxe. A atleta conquistou a medalha inédita de bronze no pugilismo feminino no Brasil.

Da Bahia para São Paulo, a próxima da lista é Maurren Maggi, símbolo do atletismo brasileiro. Seu grande momento foi quando se tornou a primeira sul-americana a receber a medalha de ouro olímpica na categoria individual. A atleta também marcou a distância de 7m04, marca que lhe consagrou o primeiro lugar no pódio, nos Jogos de Pequim, em 2008. A saltadora também acumula outros títulos, como tricampeã na prova de salto em distância nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg , do Rio e de Guadalajara. Além desses títulos, Maurren também bate recorde no brasileiro e sul-americano de salto em distância e dos 100 metros com barreira e ainda é recordista sul-americana do salto triplo.

Primeiras mulheres na história do esporte

A pioneira em quebrar as barreiras do preconceito, foi a tenista Charlotte Reinagle Cooper. Ela começou a fazer história lá nos anos 1900, sendo a primeira mulher a conseguir o lugar mais alto do pódio olímpico, nos Jogos de Paris. E, essa conquista ainda aconteceu na edição de estreia dos torneiros femininos na competição. Depois disso, a britânica conquistou vários outros títulos, incluindo cinco vezes o torneiro de Wimbledon – o mais antigo torneio de tênis do mundo-, no qual o último, de 1908, Charlotte se tornou a mulher mais velha a participar da competição, aos 37 anos.

Outra que abriu portas para as mulheres no esporte foi a Maria Teresa de Filippis. Depois da Fórmula 1 ser criada, demorou oito anos para que uma mulher participasse da competição, e a italiana foi a primeira a se aventurar. Tudo começou quando seus irmãos tiravam chacota, dizendo que não conseguiria correr junto aos adversários do sexo masculino. Ela quebrou a barreira do preconceito e competiu pela primeira vez no GP de Mônaco, em 1958. 


  • Fotos

  • 5 fotos | 25/08/2017

    Dia internacional da igualdade da mulher



Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

___________________   Participe das redes sociais    _____________________