Educação

Notícias

Seeduc e Escola Aberta comemoram cinco anos de parceria

 14/03/2012 - 10:03h - Atualizado em 14/03/2012 - 10:03h

O programa já atendeu 1,5 milhão de alunos e moradores de comunidades no estado


Fotos: Marcia Costa e Divulgação

 

A Secretaria de Estado de Educação promoveu, neste sábado (10.03), a festa do 5º aniversário do programa Escola Aberta.  O encontro “Vamos Nessa Onda, Escola Aberta na Praça é Show!” aconteceu na Praça do Lido, em Copacabana, e teve a participação de cerca de 1.300 pessoas, entre alunos e professores de diversos municípios do estado e comunidade em geral.  O subsecretário de Gestão do Ensino, Antonio Vieira Neto, prestigiou o evento, marcado por apresentações de danças, canto, esporte e exposição de trabalhos organizados para comemorar o aniversário do programa e mostrar um pouco do que acontece durante o ano nas unidades escolares.
 

O programa é uma parceria da Seeduc com o Mec – Ministério da Educação – e oferece opções de lazer e aprendizado, nos finais de semana. Cerca de 40 mil alunos e moradores das comunidades são atendidos por mês em 78 escolas da rede estadual de ensino. Nesses cinco anos, o projeto recebeu cerca de 1,5 milhão de pessoas em unidades das regiões Metropolitana, Centro Sul, Serrana, Médio Paraíba, Norte e Noroeste Fluminense do estado.


Além dos participantes do Escola Aberta, a praça recebeu muitos moradores e transeuntes, atraídos pela música, dança, e pelas tendas de artesanato e oficinas.
 

A superintendente pedagógica, Cláudia Raybolt, considera o programa um oportunidade única para integrar a escola, a família dos estudantes e toda a comunidade.


– A iniciativa resgata, insere, integra. Além do aprendizado nas oficinas e cursos, existe a preocupação com o rendimento escolar, o que traz excelentes resultados para todos.
 

 

O coordenador do programa pela Seeduc, Jorge Nascimento, fala do esforço de todos os diretores regionais, supervisores, diretores das escolas, professores e oficineiros para garantir o sucesso do evento.


– Acreditamos em uma escola participativa, descentralizada, verdadeiramente democrática e cada vez mais adaptada a cada indivíduo, onde a educação seja um processo de construção da consciência crítica, oportunizando crianças, jovens, adultos a vivenciarem novos horizontes e a se tornarem de fato cidadãos.
 

O Ciep Oswaldo Aranha, de Realengo, apresentou trabalhos de pintura em tecido e artesanato com material reciclável. Para a oficineira Marcia Francisca Malaquias da Silva, mãe de cinco alunos do colégio, é importante participar do projeto, não só como mãe, mas também como cidadã.


– Esse trabalho é muito importante para uma comunidade com tantas histórias de superação como a nossa. Para os alunos, a escola se torna também um espaço de expressão e interação.
 

O diretor da unidade, professor Carlos Alberto Mendes dos Santos, explica que uma das atividades que mais integram as crianças é a de preservação do meio ambiente. 


– Cuidamos do nosso espaço promovendo a coleta de material reciclável que usamos nas oficinas. Hoje, o entorno está mais bem cuidado por conta desse trabalho. Na nossa escola, o lixo vira arte.
 

O Ciep Dom Martinho Schlude, de Pinheiral, também trouxe o trabalho das oficinas de reciclagem. Material de limpeza produzido a partir do óleo de cozinha usado – detergente e sabão em pó e em pedra –, artesanato de palha de milho e folha de bananeira foi oferecido ao público.


A diretora Maria Helena dos Santos falou das oportunidades que o programa oferece.


– Ele tira as crianças das ruas e leva para a escola. Esse prgrama da coleta de óleo usado, por exemplo, já retirou mais de 300 litros do meio ambiente e já está gerando renda.
 

O C.E. André Maurois, do Leblon, levou a dança para a praça, mas, segundo a professora Giorgina Carlin Fagundes, que acompanha o projeto desde a sua implantação no estado, o esporte é o que mais atrai a garotada.


– Eles participam de muitos torneios, o que estimula a integração entre colegas, escolas e famílias. Convidamos alunos da Rocinha, Vidigal, Jardim Botânico, Cruzada São Sebastião. Isso faz com que o aluno se integre voluntariamente e leve o que ele aprende para a sua comunidade. Temos oficineiros que foram nossos alunos e continuam conosco.
 

Para a diretora Margareth Perne Paiva, do C.E. Alecrim, em São Gonçalo, depois de um ano e meio de projeto já foi possível sentir a mudança de comportamento dos participantes durante as aulas.


– As atividades lúdicas ajudam muito no rendimento dos alunos. É um momento de integração da comunidade com a escola que traz ótimos resultados para o aprendizado.
 

A diretora do Ciep Pastor Waldemar Zarro, do mesmo município, Rosilene de Oliveira Bastos, conta que, com a chegada do projeto na escola, houve mudanças no comportamento da comunidade.


– Havia um desgaste que foi resolvido após esse novo convívio promovido pelo programa. Agora, a escola passou a ser vista como um espaço onde acontece a diferença.
 

Integrantes do grupo Meninos do Batuque, Elísia Caroline, Taís Andrade e Gilcélio de Oliveira, do Ciep Toninho Marques Belmonte, de Volta Redonda, estão no programa há mais de dois anos. Já abriram shows para artistas como Diogo Nogueira, Daniel e Biquini Cavadão, entre outros. Gilcélio gostou de participar do evento.


– Achei muito legal. Festas assim aproximam mais os jovens. O clima é de festa e de paz. Se chamarem, viremos novamente, disse.
 

O aluno Rafael da Silva Oliveira, do C.E. Brigadeiro Schorcht, não se apresentou dessa vez, mas promete participar no próximo aniversário. Ele está na oficina de violão há poucos meses e quer aprender mais.


– Eu sempre quis aprender violão, mas não encontrava cursos gratuitos. Com o projeto, surgiu a oportunidade. – Ele ainda fala de outros benefícios – Geralmente, a gente não tem o que fazer. Participar das oficinas é uma forma de não inventar bagunças e fica na boa, finalizou.
 

Durante todo o dia, houve apresentações de bandas; raps; balé clássico; seleção de músicas brasileiras; corais e percussão; homenagens ao Rio de Janeiro, ao Dia Internacional da Mulher, ao cantor Luiz Gonzaga e ao centenário de Jorge Amado; pagode; percussão em lata; forró; ginástica rítmica; batalha de hip-hop; circo capoeira; e karatê.
 

 

Os colégios participantes foram: Ciep 339 Mário Tamborindeguy; E.E. Prof. Waldemar Raythe; Ciep Vereador Sebastião Pereira Portes; C.E. José Fonseca; C.E. Guadalajara; C.E. Caetano Belloni; C.E. Sargento Wolff ; Ciep Dom Martinho Schlude; C.E. Monsenhor Barenco Coelho; Instituto de Educação Governador Roberto Silveira; Ciep Hans Christian Andersen; Ciep Profª Maria José Machado; Ciep Mal. Henrique Teixeira Lott; C.E. André de Maurois; C.E. Monsenhor Miguel Santa Maria Mochón; CE Duque de Caxias; Ciep 210 Maria Alves de Souza Vieira; C.E. Brigadeiro Schorcht; Ciep Profª Maria Alves de Souza Vieira; C.E. Raimundo Corrêa; C.E. Herbert de Souza; C.E. Antonio Houaiss; C.E. Alecrim; C.E. Estadual Prof. Ubiratan Reis Barbosa; C.E. Eric Walter Heine; Ciep Eugênia Moreyra; Ciep Waldemar Zarro; Ciep Sargento Wolff; Ciep Mané Garricha; Ciep Raul Seixas; Ciep Irmã Dulce; Ciep Toninho Marques; Ciep Dom Martinho Schlude; C.E. Pedro Álvares Cabral; C.E.Prof. Ubiratan Reis Barbosa; CE Bertha Alessandro; CE Magé; E.E. João XXIII, Caic Theóphilo de Souza Pinto; C.E. Jardim Alvorada; Ciep 134 Ver. José Lopes de Araújo; Ciep 240 Prof. Haroldo Teixeira Valladão;Ciep 309 Zuzu Angel; Instituto de Educação Clélia Nanci ; C.E. Central do Brasil; Ciep 052 Profª Romanda Gouveia Gonçalves; C.E. Marechal João Batista de Mattos; C.E. Leopoldina da Silveira; Ciep 244 Oswaldo Aranha; Ciep 313 Rubem Braga; Ciep 370 Prof. Sylvio Gneco de Carvalho; C.E. Euclides da Cunha; C.E. Miguel Couto; E.E. Vinicius de Moraes; Ciep 156 Dr. Albert Sabin; Ciep 329 Juan Martinho Carrasco; Ciep 500 Antônio Botelho; Caic Euclides da Cunha; C.E. Compositor Luiz Carlos da Vila; Ciep 205 Frei Agostinho Fíncias; C.E. Monteiro de Carvalho; Ciep 112 Monsenhor Solano Dantas de Menezes; Caic 1003 Dona Darcy Vargas; Ciep 316 General Ladário Pereira Telles; Ciep Brizolão 133 Oswaldo José Lourenço; Ciep 399 Jean Baptiste Debret; C.E. Profª Francisca Jeremias da Silveira Menezes; C.E. Lourenço Filho; E.E. Leonel de Moura Brizola; C.E. Francesca Carey, C.E. Sol Nascente; Ciep 415 Miguel de Cervantes; C.E. Magé; Ciep 424 Pedro Amorim; Ciep 092 Federico Felini, Caic Theóphilo de Souza PInto; CE Central do Brasil; CE Antonio Houaiss; CE Mal. Baptista de Mattos; Ciep 323 Maria Werneck de Castro, entre outras.


Contribuíram para a organização do evento, o diretor Paulo Menezes, do C.E. Roma; a diretora Leila Cavalcanti, e a supervisora da Regional VI, Jussimara Saraiva. Também participaram os supervisores do programa Rafael Gomes, Arnaid e Laerson, da Reginal I; Fábia e Adriana, da Regional II; Isa Faissal e Anderson, da Regional III; Patrícia e Zizelda, da Regional IV; Arlene e Sideli Maia, da Regional V; Edivone Alves, Celma e Robson, da Regional VII; Kátia Souza, da Regional Centro Sul; Edimar Marins, da Serrana I e II; Cida Alvarenga, da Regional Médio Paraíba; Márcio Esquef, da Regional Norte Fluminense; e Felipe Crisóstimo, da Regional Noroeste Fluminense.

 

 

Um bolo marcou o encerramento da festa.

 

Mais sobre o programa
O Programa Escola Aberta: Educação, Cultura, Esporte e trabalho para a Juventude é promovido pelo Ministério da Educação – por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), sob a coordenação da Secretaria de Educação Básica (SEB), em parceria com os Ministérios do Trabalho e Emprego, do Esporte e da Cultura, e executado por secretarias estaduais e municipais de Educação, contando com a cooperação técnica da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).
 

No Rio de Janeiro, o Programa é desenvolvido em 314 escolas municipais e estaduais da rede pública, abrangendo 19 municípios da Região Metropolitana (Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaboraí, Itaguaí, Paracambi, Japeri, Magé, Mangaratiba, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, Rio Bonito, Rio de Janeiro, São Gonçalo, São João de Meriti, Seropédica, Tanguá, Pinheiral e Volta Redonda no total de 20 Secretarias).

 

O objetivo é levar cultura e entretenimento aos alunos, familiares e moradores de várias comunidades do estado do Rio de Janeiro. São oferecidas opções diversificadas nas áreas de e cultura e arte; esporte, lazer e recreação; qualificação para o trabalho e geração de Renda; além da formação educativa complementar.
 

Entre as ações desenvolvidas, além e reforço escolar, estão artesanato, desenho e pintura, música, dança hip-hop, lambaeróbica, grafite, circo, skate, capoeira, artes marciais, esportes, teatro, maquiagem/ manicure/ cabeleireiro, desfile de modas e jogos diversos.  Os cursos acontecem todos os sábados, das 9h às 17h. É servido café da manhã, almoço e lanche aos participantes.
 




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

_____________________   Participe das redes sociais   _____________________