Educação

Notícias

Educação

Secretário anuncia Programa de Educação do Estado do Rio

 10/03/2011 - 15:46h - Atualizado em 14/03/2011 - 16:31h

O secretário de Estado de Educação, Wilson Risolia, anunciou, nesta sexta-feira (07/01), o Programa de Educação para o Estado do Rio de Janeiro. Na nova proposta, constam medidas que visam a alavancar a educação pública estadual nos próximos anos.


Fotos: Cris Torres

 

Para valorizar o professor e o aluno, o Estado poderá investir, anualmente, cerca de R$ 240 milhões, entre benefícios e bonificação para quem atingir metas.

 


- A educação não é um tema trivial. Ela tem que ser pensada a longo prazo, e é isso que estamos fazendo. Melhorar a educação envolve uma série de ações e um conjunto de forças somadas. No nosso programa, focamos o professor e o aluno, que formam nosso público principal – afirmou o secretário Wilson Risolia.


Para alcançar as cinco primeiras posições até 2014 no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), foram preparadas algumas frentes de trabalho, que levam em conta diversos aspectos, tais como a reestruturação organizacional e a remuneração variável dos profissionais. Além disso, o novo programa da Educação contempla a atualização e a valorização dos professores; um currículo mínimo para, inicialmente, seis disciplinas; o processo seletivo para funções estratégicas da área pedagógica; a criação da carreira técnica e da função de gestor; a construção de novas escolas e a melhoria na infraestrutura das unidades escolares já existentes.


Atualmente, a Secretaria de Estado de Educação administra 1.466 unidades escolares, que atendem 1,25 milhão de alunos e tem no corpo docente 78.252 professores ativos. Destes, aproximadamente 51 mil estão lotados nas unidades escolares.

 

 

Saiba mais sobre as metas da SEEDUC:


- Processo seletivo para funções pedagógicas estratégicas – a avaliação acontecerá em quatro etapas: análise curricular, prova, entrevista e treinamento.


- Revisão de licenças médicas e cedidos – atualmente, cerca de 10 mil docentes estão licenciados, cedidos a outros órgãos ou ocupando funções administrativas. Com a implementação do programa, o objetivo é resgatar esses profissionais para as salas de aula.

 


• Corpo Docente e funcionários administrativos


- Currículo Mínimo – novidade na rede estadual. São diretrizes institucionais sobre os conteúdos, competências e habilidades a serem desenvolvidas no processo de ensino-aprendizagem em todas as escolas da rede estadual. A concepção, redação e revisão desses documentos estão sendo conduzidas por equipes disciplinares de professores da rede estadual.


- Remuneração variável – avaliação e bonificação dos professores de acordo com o desempenho da escola. Serão considerados o fluxo escolar, o rendimento do aluno e a infraestrutura das escolas. O docente que conseguir atingir o limite máximo das metas poderá receber até três salários a mais por ano. O investimento poderá chegar a R$ 140 milhões.


- Auxílio qualificação para professores – ainda neste semestre, os docentes que estiverem em sala de aula receberão um cartão pré-pago, no valor de R$ 500, para utilização em bens pedagógico-culturais. O investimento esperado é de aproximadamente R$ 25 milhões.


- Auxílio transporte – apoio financeiro, no contracheque, para custos com deslocamento dos professores e dos funcionários administrativos que estejam lotados nas unidades escolares. O custo anual será de R$ 68 milhões.


- Escola SEEDUC – será criada uma escola onde os professores poderão se aprimorar, com cursos específicos. Também haverá um consórcio com universidades para a formação continuada do docente. A meta é certificar cerca de 10 mil professores por semestre.

 


• Alunos


- Aulas de reforço nos contraturnos – apoio pedagógico para alunos com dificuldade de aprendizagem.


- Orientação vocacional – iniciativa voltada a estudantes do Ensino Médio.


- Diminuição da defasagem idade-série – reduzir os índices de repetência.



• Unidades Escolares


- Metas específicas para cada unidade escolar – os objetivos a serem alcançados serão definidos de acordo com a realidade de cada escola. O Rio de Janeiro contará com um índice próprio, o IDERJ (Índice da Educação Básica do Rio de Janeiro), com o objetivo de acompanhar e aferir o progresso dos estudantes.


- Diagnóstico da infraestrutura das escolas – a Seeduc, em parceria com a Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop), preparou um levantamento com as necessidades estruturais identificadas em todas as unidades escolares.

Com o mapeamento, será possível conhecer as áreas onde há a necessidade de construção de escolas ou de reformas nas que já existem. Foram avaliados 23 itens.




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

PROGRAMAS E AÇÕES

_____________________   Participe das redes sociais   _____________________