Cultura

Notícias

Entrevista do designer Cesar Villela é marcada pela emoção e simplicidade

 22/02/2018 - 15:26h - Atualizado em 22/02/2018 - 15:26h


O designer Cesar Villela e seus entrevistadores no MIS: João Luís Albuquerque, Ruy Castro e Roberto Menescal / Foto: Guilherme Maia

 

Evento no MIS faz parte da série ‘Depoimentos para a Posteridade’ batizada de `Bossa 60`

O Museu da Imagem e do Som (MIS/RJ) recebeu em seu auditório da Praça XV, nessa quarta-feira (21/02), o ilustrador e designer Cesar Villela, responsável por mais de mil capas de LPs da Bossa Nova. O encontro faz parte da série “Depoimentos para a Posteridade”, batizada de “Bossa 60” em homenagem ao gênero musical que completa seis décadas este ano.


O escritor Ruy Castro, o músico Roberto Menescal, o jornalista João Luís Albuquerque e o designer gráfico Beto Martins foram os responsáveis por entrevistar Cesar Villela. A entrevista foi marcada pela emoção, durante a qual Cesar contou como o desenho esteve presente desde sua infância, quando estudou com o músico João Donato e o cineasta Paulo Cesar Saraceni. Benício e Gut foram alguns dos colegas de início de carreira, na Rio Gráfica (atual editora Globo), sendo considerados por Villela seus professores e incentivadores.


Villela disse, também, que o teórico da comunicação Marshall McLuhan foi o responsável pelo despertar do desejo de simplicidade no seu trabalho, quando disse que o excesso de detalhes de uma composição eram ruídos visuais. Cesar acredita que a simplicidade das capas foi um dos motivos dele ser bem sucedido na gravadora Odeon. Foi lá, inclusive, que começou a realizar seu desejo de transformar o formato do desenho para as capas de discos nacionais, que antes exibiam só fotos dos artistas.


Hoje em dia, Cesar considera a gravadora Dubas equivalente à antiga Elenco, onde fez a maioria dos seus trabalhos de capas. Morando atualmente em Miguel Pereira, o designer vem se dedicando a telas e poesias.Com trabalhos reconhecidos e premiados na Coreia, Japão, EUA e na Europa, Villela acredita que "gratidão é a palavra para definir o que sinto em relação à Bossa Nova. Ela é responsável pelo prestígio que tenho, hoje, em todo o mundo. Mas o mais importante é que penso que tenho sido beneficiado na vida não pelo meu talento profissional, mas por ter tratado bem as pessoas". 




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

___________________   Participe das redes sociais    _____________________