Cultura

Notícias

Casa França-Brasil apresenta exposição com obras da Fundação Edson Queiroz

 29/03/2017 - 15:41h - Atualizado em 29/03/2017 - 15:43h
 » Ascom

"VIRAGENS: arte brasileira em outros diálogos" será aberta dia 25 de março, reunindo obras de Alfredo Volpi, Candido Portinari, Flávio de Carvalho, Alberto da Veiga Guignard, Rubem Valentim, Hélio Oiticica, Mira Schendel, Willys de Castro, Lygia Clark, Anita Malfatti, Ivan Serpa e Maria Martins


“VIRAGENS: arte brasileira em outros diálogos” é uma leitura de parte da coleção da Fundação

Edson Queiroz, construída há mais de três décadas com obras de variados períodos da arte

brasileira. A coleção caracteriza-se por ser uma das mais importantes do país, sediada na

Universidade de Fortaleza (Unifor). A proposta é construir diálogos múltiplos que perpassam

alguns capítulos da arte brasileira com obras desde 1913, como a emblemática pintura de Lasar

Segall, “Duas amigas", até os anos 1980. A exposição é constituída por núcleos que apresentam

abordagens mais amplas do que os convencionais movimentos e cronologias da história da arte,

identificando obras que se relacionam às discussões da forma, aos referenciais da cultura, aos

interesses psicológicos e a outros atravessamentos possíveis, observando não só a influência de

um artista sobre seus sucessores, mas, antes, as evidências de que arte e sociedade são

indissociáveis.

“Desse modo, podemos pensar em transversalidades, em relações diretas ou ambíguas, nas

quais a proximidade formal, cromática e conceitual das obras as torne pontos de viragem muitas

vezes fora da sincronicidade de época e escola, sublinhando diacríticos, pontos fora da curva na

relação da própria produção artística”, explica Marcelo Campos, um dos curadores da mostra.

Segundo ele, “ponto de viragem” é a expressão que evidencia o momento quando duas

substâncias se afastam do ponto de referência. “Há vários indicativos dessa condição, a cor, a

mudança matérica. Aqui, acreditamos que a arte pode ser observada de modo análogo, em que

artistas e obras passam a não coincidirem com seus referenciais, alterando-os, subvertendo-os”,

salienta

Cada núcleo da exposição apresenta uma ou mais interlocuções, configuradas por trabalhos que

possam refletir sobre as mudanças na história da arte brasileira e sobre as possibilidades de

criação, diante das próprias vertentes constitutivas das obras que, com isso, permanecem

firmemente históricas. Observamos não somente a sensação de que um artista influenciou seus

sucessores, mas, antes, as evidências de que arte e sociedade são indissociáveis. Assim, a

“Crucificação”, de Vicente do Rego Monteiro, pode ser confrontada com a “Madonina”, de Victor

Brecheret ou, mais a frente, também o caráter substancioso de Mira Schendel e Frans Krajcberg,

a melancolia nos retratos de Ismael Nery e no busto de Maria Martins, as abstrações de Samson

Flexor e Antonio Bandeira, o cinético de Abraham Palatnik e o plano ágil de Luiz Sacilotto.

“Tornou-se evidente, para nós, que uma mesma obra poderia se encaixar em narrativas variadas

e percursos múltiplos. Aquilo que o antropólogo Néstor García Canclini ressaltou, no contexto

mais amplo da América Latina, como 'um modernismo exuberante no âmbito de uma

modernização falha', rodeado de contrassensos produtivos. Com tais diálogos e diacronias,

propomos um olhar dinâmico para a arte brasileira que não se inscreve só por meio de

sucessões. Com isso, resta-nos observar fissuras, fendas, hiatos e brechas por onde circula o ar,

renovando o fôlego da história da arte”, salienta Marcelo Campos.

ARTISTAS PARTICIPANTES

Abraham Palatnik, Alfredo Volpi, Amilcar de Castro, Anita Malfatti, Antonio Bandeira, Antonio

Gomide, Bruno Giorgi, Candido Portinari, Cícero Dias, Danilo Di Prete, Emiliano Di Cavalcanti,

Ernesto de Fiori, Flávio de Carvalho, Frans Krajcberg, Guignard, Hélio Oiticica, Hercules Barsotti,

Hermelindo Fiaminghi, Iberê Camargo, Ione Saldanha, Ismael Nery, Ivan Serpa, José Pancetti,

Judith Lauand, Lasar Segall, Lothar Charoux, Luiz Sacilotto, Lygia Clark, Maria H. Vieira da Silva,

Maria Leontina, Maria Martins, Maurício Nogueira de Lima, Milton Dacosta, Mira Schendel,

Rubem Valentim, Samson Flexor, Sérgio Camargo, Sérvulo Esmeraldo, Tomie Ohtake, Vicente

do Rego Monteiro, Victor Brecheret, Willys de Castro.

SOBRE A FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ

Como poucas instituições no Brasil fora do eixo Rio-São Paulo, a Fundação Edson Queiroz

construiu um amplo acervo de arte brasileira, que contempla desde os artistas viajantes até os

contemporâneos, com foco nos modernistas. A articulação entre a educação superior e as artes

faz parte da essência da Fundação Edson Queiroz, mantenedora da Universidade de Fortaleza

(Unifor), onde a comunidade acadêmica convive em harmonia com as artes visuais, o teatro, a

música e a dança, por meio da realização de exposições e espetáculos e do apoio permanente a

seus grupos de arte – Big Band, Camerata, Cia. de Dança, Coral, Grupo Mirante de Teatro,

Orquestra Infantil de Sanfonas, Grupo Infantil de Flautas, Grupo Infantil de Violinos e Grupo

Infantil de Piano. A Fundação mantém ainda a Biblioteca de Acervos Especiais, composta por

livros raros adquiridos da coleção de Francisco Matarazzo Sobrinho, aberta à visitação pública

sob agendamento. A Universidade de Fortaleza mantém também o Espaço Cultural Unifor,

museu criado em 1988 e ampliado em 2004. Localizado no prédio da Reitoria da Universidade,

conta com área de mais de 2 mil metros quadrados e já recebeu nomes de importância da arte

internacional, como Rembrandt, Rubens e Miró, artistas brasileiros consagrados, como Antonio

Bandeira, Candido Portinari, Beatriz Milhazes, Adriana Varejão e Hélio Oiticica, e novos talentos

da arte cearense e nordestina.

CURADORIA

João Paulo Quintella

Laura Cosendey

Marcelo Campos

Pollyana Quintella

PROJETO EXPOGRÁFICO

Hélio Eichbauer

Serviço

25 de março a 25 de junho de 2017

Visitação: terça a domingo, das 10h às 20h - Casa França-Brasil

Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro, Rio de Janeiro (21) 2332-5277 - 2332-5278

info@casafrancabrasil.rj.gov.br - www.casafrancabrasil.rj.gov.br




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

___________________   Participe das redes sociais    _____________________