Ambiente

Notícias

Ambiente

Projeto Olho no Verde, da Secretaria de Estado do Ambiente, deflagra operação para combater desmatamento na Zona Oeste do Rio

 06/02/2018 - 12:49h - Atualizado em 06/02/2018 - 12:50h
 » ASCOM SEA/INEA

Fiscalização contou com um importante aliado: o apoio de um helicóptero que sobrevoou as áreas apontadas pelo Projeto Olho no Verde


A Zona Oeste do Rio de Janeiro foi o alvo de operação deflagrada pela Secretaria de Estado do Ambiente e pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), no último dia 25, para reprimir desmatamento ilegal. A ação foi realizada a partir de imagens captadas pelo Projeto Olho no Verde, que desde 2016 monitora semanalmente, por via satélite, a cobertura florestal de uma área de sete mil quilômetros quadrados, onde se localizam os principais remanescentes florestais do Rio de Janeiro.

 

A operação contou com um importante aliado: um helicóptero que sobrevoou as áreas apontadas pelo Projeto Olho no Verde, assegurando o fator surpresa para flagrar os infratores, vistoriando áreas anteriormente embargadas e aumentando a eficácia das fiscalizações.

 

A primeira área vistoriada foi Barra da Tijuca. A equipe flagrou um loteamento irregular que estava sendo construído às margens da Lagoa da Tijuca, na comunidade da Muzema, no Itanhangá.

 

Ao mesmo tempo em que o helicóptero sobrevoava a área mapeada pelo Projeto Olho no Verde, na Zona Oeste da cidade, um agente informava para as equipes em terra o local exato da infração ambiental. Com o cerco, os infratores não conseguiram escapar e as irregularidades foram constatadas em flagrante.

 

No loteamento, os fiscais constataram a construção de um condomínio de casas, com arruamento em trecho aterrado da Faixa Marginal de Proteção da lagoa, o que é ilegal. A obra foi embargada cautelarmente por não ter licença ou autorização dos órgãos ambientais. Dois caminhões e uma escavadeira foram apreendidos e os operários que trabalhavam no empreendimento foram levados para a 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca) onde prestaram esclarecimentos.

 

A equipe também sobrevoou as áreas que receberam os alertas do projeto Olho no Verde em Santa Cruz. Durante o percurso, fiscais identificaram movimentação de terra em uma grande área, que nem estava na rota da fiscalização. Após a vistoria o helicóptero pousou no local para checar a documentação do empreendimento. Foi constatado que se tratava de uma obra para construção de um condomínio de casas sem as devidas licenças. Os responsáveis foram conduzidos para a 36ª Delegacia de Polícia (Santa Cruz) onde prestaram esclarecimentos. Duas máquinas foram apreendidas por medida cautelar.

 

Os responsáveis serão multados pelo Inea por iniciar atividade com supressão vegetal, desmonte de encosta, movimentação de solo sem licença ou autorização dos órgãos ambientais competentes. Ao lado desse condomínio irregular, mais um flagrante: um outro empreendimento em construção, também sem as devidas licenças. O responsável foi notificado a apresentar ao Inea, em até 45 dias, o requerimento de licença ambiental para instalação de condomínio residencial ou certidão de inexigibilidade de licenciamento, conforme o caso.

 

"Essa operação marcou o início do uso de aeronaves para apoio ao projeto Olho no Verde. O planejamento será facilitado na medida em que poderemos sobrevoar determinadas áreas antes de decidir pelo envio das equipes de fiscalização por terra. Além disso, no curso de operações específicas, as aeronaves terão papel importante como fator surpresa, alcançando áreas com flagrantes em poucos minutos”, afirmou o subsecretário estadual do Ambiente, Rafael Ferreira.

 

Desde 2016, o Projeto Olho no Verde já identificou mais de 400 casos de desmatamento ilegal, somando cerca de 1 milhão e 100 mil metros quadrados, o equivalente a 110 hectares de áreas que sofreram supressão irregular de vegetação.

 

Ainda janeiro, também foi deflagrada operação de combate a desmatamentos a partir dos alertas emitidos pelo Projeto Olho no Verde, nos municípios de Paraty e Angra dos Reis, no Sul Fluminense. Em Paraty, a equipe flagrou corte em encosta, movimentação de solo e despejo de sedimentos causando assoreamento de um córrego. O proprietário foi autuado e notificado a apresentar um projeto para recuperação de área degradada. A obra foi embargada cautelarmente.

 

Projeto Olho no Verde

 

O Projeto Olho no Verde tem como principal objetivo o combate ao desmatamento ilegal através da incorporação da tecnologia do imageamento por satélite e de processamento de dados espaciais. O Olho no Verde é capaz de identificar desmatamentos a partir de 200 metros quadrados. As imagens captadas são enviadas para o laboratório de georreferenciamento da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) onde passam por uma triagem.

 

Além de contar com a tecnologia de ponta e o apoio aéreo, os bons resultados obtidos pelo projeto Olho no Verde também se deve à integração das equipes da Secretaria de Estado do Ambiente, do Inea e do Comando de Polícia Ambiental e da Polícia Civil.

 

O piloto da Polícia Civil, Adonis Oliveira, aprova o projeto Olho no Verde e ressalta que considerou a operação uma das mais eficientes das quais já participou.

 

“Sou piloto do estado há 30 anos e já estive em inúmeras operações aéreas de apoio ao meio ambiente e esta é, sem dúvida, uma das mais eficientes que já participei. Fazer parte desta equipe foi muito gratificante”, disse ele.

 

“O Olho no Verde é um dos grandes vetores de integração de diversas áreas do Inea que trabalhavam separadas. Somos referência no Brasil, fruto dessa equipe que é apaixonada pelo que faz”, ressaltou o subsecretário Rafael Ferreira.  




Encontre em um mesmo espaço serviços públicos facilitando a vida do cidadão e do empresário.

Diário Oficial

  

 

PROGRAMAS E AÇÕES

___________________   Participe das redes sociais    _____________________