Notícias





Gabriel Lobo


SECTI conclui relatório de casos subnotificados da Covid-19


A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), concluiu o relatório relacionado ao projeto “Aplicação de questionário digital para levantamento de casos de subnotificação da COVID-19 no estado do Rio de Janeiro (SUB-19)”. O questionário, sem ônus para o estado, apontou que cerca de 13% dos respondentes da amostra foram possivelmente casos subnotificados. 
 
 
O objetivo do relatório em identificar a existência de prováveis casos de subnotificação nos sistemas de informação, ajudando no desenvolvimento de ações de prevenção e controle da doença e promoção de ações de saúde pelos órgãos governamentais para fornecer subsídios na adoção de políticas públicas foram alcançados. O relatório indicou diretrizes também para eventuais ações de mitigação do processo pandêmico, direcionando uma melhor alocação de recursos de saúde para regiões em que a população possa ter sido mais afetada com a pandemia. Assim, com base no relatório os gestores de saúde poderão adotar medidas de afrouxamento do isolamento social de forma mais segura, já que é possível regionalizar (através dos indicadores municipais) tais medidas iniciando-as nos locais que foram mais atingidos pela doença. 
 
 
A amostra do questionário foi coletada no período de 16 de maio à 04 de julho, e a ampla divulgação do questionário nos meios de comunicação proporcionou o número total de 33.841 respondentes com CEP válido computados, considerando qualquer região do país. Dentre esses, 28.926 respondentes do Estado do Rio de Janeiro (atingindo 86 dos 92 municípios) e 4.915 respondentes de outros estados do Brasil. 
 
 
O relatório indicou que os participantes responderam o questionário de forma consistente, já que houve grande correlação com os sinais e sintomas relatados com os de pessoas que fizeram os testes RT-PCR na Policlínica Piquet Carneiro, unidade de saúde da Uerj. O questionário apresentou informações exclusivamente de respondentes, cujo CEP pertence ao estado do Rio de Janeiro (85,47% dos respondentes). Foram incluídos na avaliação da subnotificação, os respondentes que apresentaram os sinais e sintomas definidos pelo MS como “Síndrome Gripal”: febre acompanhada de alguns dos seguintes sintomas: tosse ou coriza ou dor garganta ou dificuldade respiratória, acrescida a ausência de testagem. Assim, foram considerados casos notificados os respondentes com os sinais e sintomas descritos acima que informaram ter procurado atendimento em ambiente de saúde e relataram realização de testagem (PCR ou sorológico). Dessa forma, foram considerados casos subnotificados os respondentes que apresentaram os sinais e sintomas, mas não procuraram o ambiente de saúde e também não fizeram qualquer tipo de teste. Porém, foram considerados como prováveis subnotificados, os respondentes que apresentaram os sinais e sintomas expostos acima, procuraram ambiente de saúde e não foram testados, pois, eventualmente, podem ter sido incluídos nos sistemas de notificação e-SUS Notifica ou SIVEP-Gripe, em decorrência dos sintomas observados pelos profissionais de saúde que os tenham atendido. 
 
 
O projeto, inscrito na Plataforma Brasil, foi aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Pedro Ernesto da UERJ e teve a parceria das Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro e Fundação Oswaldo Cruz. Entre os pesquisadores renomados responsáveis pelo projeto estão: Maria Isabel de Castro de Souza, Alexandre Sztajnberg, Fabiano Saldanha Gomes de Oliveira, Jerson L. Silva, José Augusto Sapienza Ramos, Karla Figueiredo, Lisandro Lovisolo, Luiz Otavio de Azevedo, Roberto Medronho, Fabio Henrique Cardoso, Gabrielle da Silva Pereira, Wellington Rodrigo de Freitas Costa. Todos os envolvidos no relatório comprometeram-se a manter o sigilo das informações, conforme determina a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).
 
 
O relatório e o questionário podem ser consultados aqui