Notícias





Divulgação


Ato inter-religioso marca Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito


Por Daniela Damaso
Crédito: Divulgação 

 

Uma celebração para lembrar e refletir. Há 10 anos, no terceiro domingo de novembro, o Detran.RJ homenageia familiares e amigos de vítimas de acidentes de trânsito que enfrentam a dor de perder um ente querido. Em 2019, o encontro inter-religioso acontece no próximo dia 17, às 10h, no auditório do Museu do Amanhã, na Praça Mauá.

 

O estado do Rio de Janeiro apresentou uma queda de 8% no índice de mortes no trânsito no ano passado. Segundo o anuário estatístico do Detran.RJ, o número de vítimas fatais caiu de 2.121 em 2017 para 1.957 em 2018. O estudo da Coordenadoria de Estatística do departamento também registrou mais de 29 mil ocorrências de acidentes em 2018, onde as maiores vítimas fatais são homens entre 18 a 29 anos. Os números assustam e o Detran trabalha para que as ocorrências diminuam ainda mais.

 

O evento que marcará o Dia Mundial em Memórias das Vítimas alerta para a importância da educação no trânsito como forma de preservar vidas e prevenir acidentes. “Um trânsito mais seguro e com menos acidentes fatais é possível com informação e conscientização. No Detran.RJ, buscamos levar essas lições para o maior número possível de cidadãos fluminenses e tenho certeza de que fazemos o melhor para a população”, diz o presidente Marcelo Bertolucci.

 

A cerimônia reúne líderes de todas as crenças: católica, judaica, espírita, protestante, anglicana, evangélica, messiânica, muçulmana e zen-budista. Organizada pelo Coordenadoria de Educação do Detran.RJ e pelo Núcleo de Apoio às Vítimas de Trânsito (Navi), a celebração terá o depoimento de pessoas assistidas pelo núcleo, orações dos religiosos e apresentações do coral da Secretaria de Estado de Policia Civil do Rio de Janeiro, com regência do maestro Gilson Bender.

 

O Detran.RJ atua na educação para o trânsito com medidas efetivas que contribuem para melhorar a convivência entre todos, sejam eles motoristas, ciclistas ou pedestres. A Coordenadora de Educação do departamento, Luciana Tamburini também ressalta o caráter educativo da cerimônia. “É uma homenagem de diversas religiões que se solidarizam com as vítimas do trânsito. Procuramos chamar a atenção para a importância de se respeitar as regras do trânsito para salvar vidas e manter a ordem”.

 

No Detran, o Navi oferece apoio a quem sofre com as consequências da violência no trânsito, sejam as vítimas propriamente ditas ou familiares, e realiza atividades em grupo onde são compartilhadas vivências no campo do auxílio mútuo. Coordenadora do núcleo, Dnilda Cortes comenta a importância da celebração do dia para essas pessoas. “Cada um tem sua forma de lidar e elaborar seu luto. O ato inter-religioso auxilia bastante. Por meio da religiosidade, alcançamos os valores e crenças mais profundas”, reflete. 

 

 O Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2005, para alertar as pessoas sobre o alto número de mortes decorrentes de acidentes em vias e estradas.